20/03/2015

A CLASSIFICAÇÃO DOS OVOS QUE CONSUMIMOS. COMO SABER ESCOLHER ?


Para quem consome ovos, quero deixar aqui uma explicação que me tem vindo a ser dada por alguns alunos, engenheiros agrários, que têm frequentado os meus workshops ao longo destes 5 anos.

Eles também impressionados com o ritmo de crueldade crescente na criação de animais em cativeiro, têm vindo a denunciar tudo isto, a fim de evitar que as pessoas colaborem para esta indústria sem ética e que está a adoecer cada vez mais gente, que pensa estar a consumir alimentação saudável.

Quando vamos ao supermercado e abrimos uma caixa de ovos, daquelas que abundam nas prateleiras, podemos ver um carimbo vermelho, impresso no ovo, que nos indica a origem desse ovo e a forma de criação das galinhas. O que nos interessa é o primeiro número logo à esquerda. É bem visível e vai ajudar-vos muito, na vossa escolha.


 O Nº 3, de origem de galinhas criadas em gaiolas (está impresso na caixa de ovos, agora até com a referência de que as gaiolas são melhoradas) significa o seguinte:
 Quando os pintos nascem, há fêmeas e machos. 
Os machos, como não dão ovos, são imediatamente introduzidos numa trituradora (vivos) e adicionados à ração exclusivamente industrial e transgénica (milho, soja e trigo), com que as galinhas se alimentam sempre. 
Às fêmeas é-lhes cortado o bico a sangue frio, com um sistema automático, para evitar que se biquem todas, devido a entrarem facilmente em stress, pois serão mantidas enquanto sua vida útil, em gaiolas de espaço idêntico a uma folha A4. 
Em 3 semanas temos uma galinha “adulta” a pôr ovos (na natureza esse crescimento demora 3 a 5 meses). Imaginam a quantidade de hormonas de crescimento que é colocada nas rações?? além de antibiótico, pois se uma galinha adoece, lá se vai toda a produção.
Como crescem tão rapidamente e não têm a estrutura óssea formada, as suas patas não aguentam o seu peso e partem-se, “vivendo” imobilizadas na sua gaiola até irem para o matadouro e serem posteriormente vendidas como frangos embalados em superfícies comerciais, a muitos poucos euros. Reparem que ao comprarem um frango embalado, este não traz patas e a razão é essa. 
Estão igualmente expostas a uma luz tão intensa (para a produção ser mais intensiva) que os produtores têm de andar de óculos escuros. Para evitar que fechem os olhos para se protegerem da luz, estão também a modificar geneticamente essas galinhas para nascerem sem pálpebras. 
É adicionado um corante para evitar que a gema desse “ovo” seja branca, pois com este processo contra natura de crescimento tão rápido, seria o mais provável acontecer e assim ninguém compraria esses ovos.

Nº 2 – raro encontrar pois em vez de gaiolas estão a monte no solo e assim dão menos lucro ao produtor sem ética. Alimentação exclusivamente industrial.

Nº 1 – O ar livre significa, na maior parte das vezes que os aviários não têm telhado. Alimentação industrial.

Nº 0 – Ovos bio, de galinhas criadas ao ar livre, alimentadas com alimentação natural e que demoram os tais 3 a 5 meses a ficarem adultas. 

Um aluno que trabalhou numa empresa de rações industriais para animais também me explicou que aos cereais transgénicos utilizados nas rações animais é adicionada uma farinha de carne, composta por todo o desperdício que há nos matadouros. isto significa que num matadouro nada se deita fora. Desde peles, vísceras, ossos e afins, tudo é moído e adicionado às rações. Isto significa que animais herbívoros se andam a alimentar de outros animais da sua espécie...daí a famosa doença das vacas loucas.

 A ESCOLHA É SEMPRE NOSSA…E A SAÚDE TAMBÉM 

Como dizia Gandhi “se queres mudar o mundo, muda-te a ti próprio” Esta indústria existe ,porque há quem consuma.

Esta informação  foi-me fornecida por vários alunos, engenheiros agrários, que ao longo de 5 anos têm frequentado os meus workshops.

Aqui vos deixo um link para poderem aceder a um vídeo que vos explicará todo este processo


Lembrem-se que toda a energia de sofrimento dum animal em cativeiro, toda aquela adrenalina libertada na altura da sua morte, pelo terror que sentem, passa para nós, pois vem toda registada nos produtos que consumimos.

Façam boas escolhas. Por um Planeta melhor, com mais Paz e Amor e principalmente pela vossa Saúde.

Isaura Faria

1 comentário :

torcato rocha disse...

Deviam fazer uma pagina especial, com um tipo de letra maior,para impressão e sem publicidade